sexta-feira, 25 de julho de 2008

OUSADIA EXÓTICA E PERIGOSA

Gente, um tempão atrás eu ouvi a música e vi algumas imagens da Burka Band, formada em 2002. Mas na correria do dia-a-dia esqueci de comentar por aqui . E nesta semana surgiu o assunto no Orkut do Mundo Rock de Calcinha (MRC) que realmente me deu um empurrãozinho pra falar um pouco sobre este grupo musical. O tópico do fórum MRC é sobre a dificuldade de ter banda em nosso país. Imagina lá onde elas moram, no Afeganistão! O EP "Burka Blue" foi lançado em 2004 e pode ser encontrado à venda no site http://www.cdgo.com/artigoDetalhe.php?idArtigo=2498900 .

Ao que tudo indica é a primeira banda de rock feminino daquela região, formada por três moçoilas cobertas dos pés a cabeça (por causa da cultura local, as mulheres usam burq). É bateria, baixo e vocal. Não é uma super produção, nem tão rock n’ roll, mas é a tentativa de enfrentar as repreensões locais em prol da arte feita por mulheres. A capinha do disco e algumas músicas estão disponíveis no site Last FM:
http://www.lastfm.pt/music/Burka+Band/Burka+Blue

O que mais me chamou a atenção foi a preocupação delas mostrarem como enxergam o mundo! Em alguns trechos a câmera mostra como é a visão através da tela que cobre os olhos, parte integrante da vestimenta que as mulheres são obrigadas a usar, a burqa. Link do vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=x_Y-sw89qTY

Em alguns trechos de uma entrevista concedida ao site http://www.lnd.dk/burkaband_eng.htm , a vocalista – que usa o nome Nargiz – diz que o Afeganistão continua um lugar bastante perigoso e muito conservador para a mulher moderna e quando a banda resolveu filmar o vídeo, ninguém podia saber que elas tocam músicas ou que formaram uma banda. Foram super discretas. E ela ainda completa: "Gravar o vídeo foi divertido e também assustador. Poderíamos ser atacadas ou mortas, porque ainda há um grande número de fanáticos religiosos aqui." Por mais que elas estejam ‘acostumadas’ com esta cultura, que pra nós é absurdo já que vivemos nos padrões culturais diferentes, é perceptível como é horrível você querer fazer algo e não poder. Ter que se esconder ou se arriscar. Aqui no Brasil já rolou uma ditadura que até rendeu o hit “É proibido proibir” na época da Tropicália.

Há quem diga que isso é marketing ou montagem ou brincadeira. E também alguns acham medonho e ainda brincam com a tragédia alheia, até as definindo como fantasmas. Outros acreditam e admiram a coragem destas mulheres. Em alguns fóruns brasileiros isso já é assunto pra páginas e páginas... Bom, por ironia do destino, é até bom que elas precisem usar a burqua cobrindo o corpo inteiro, pois assim vai ser difícil alguém descobrir quem faz parte da banda por lá, no país delas - onde as mulheres ainda são proibidas de fazer muita coisa, inclusive música. E claro que o resto do mundo morre de curiosidade de ver os rostos de quem tem ousado tanto.

E O QUE VOCÊ ACHA ??????

Opine no tópico no Orkut Mundo Rock de Calcinha, muita gente está participando!http://www.orkut.com.br/CommMsgs.aspx?cmm=18397943&tid=5226090809641679935&start=1

Às vezes a gente reclama de tudo, mas vendo coisas deste tipo é um bom momento pra pensar em nossa vida e rever tudo para mudar ou melhorar algumas coisas...

BOM FINAL DE SEMANA!!

beijocas

Gi
http://www.mundorockdecalcinha.com/


*
*

Leia também:
Cresce violência contra mulheres no Iraque, Afeganistão e Somália
http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u101276.shtml


À Mulher de Burqa no Campo de Futebol
http://brasil.indymedia.org/pt/red/2002/07/31933.shtml


Estilistas da Noruega criam coleção de burqas
http://moda.terra.com.br/interna/0,,OI2679840-EI1119,00.html



*
*
*


2 comentários:

Polly. Milani ® disse...

Uaw eu amei o blog , o site e tds os links, parabens pelo trampo de vcs!
;****

Fã Clube Pitty X disse...

Pow meu nome é Marco sou do rio e, por acaso descobri o site de vocês,e gostei ainda mais quando vc erra no nome da banda fly, rs rs rs, e espro que esse seja o 1º de milhões d eanos que estão por vir, adorei vocês, abraloz e fui..


ahh quero escutar pitty ai hein, pois eu morro por essa rockeira...