sexta-feira, 6 de maio de 2011

Conheça um pouco mais a Pitty @pittyleone e o single do novo DVD

Na próxima sexta-feira 13, de maio, a Pitty espantará o famoso 'dia do azar' com o lançamento do segundo DVD ao vivo da carreira, chamado "A trupe delirante no Circo Voador". E o primeiro single desse trabalho, "Comum de dois", já está disponível na internet, confira:

A baiana roqueira já carrega na bagagem cinco DVDs e três discos de estúdio e um ao vivo. Dessa vez ela agita no novo DVD ao vivo com a galera do Rio de Janeiro. O primeiro registro ao vivo, {Des}Concerto (2007), foi gravado em São Paulo.

No ano passado eu fiz uma entrevista com a Pitty para a revista Boom, a qual ela sobre o DVD "Chiaroscope" (2009) e o CD "Chiaroscuro" (2009). LEIA AQUI (arquivo PDF).

Confira a entrevista diferente com Pitty, exclusivamente para o site Mundo Rock de Calcinha pra gente conhecer ela um pouco mais:

ENTREVISTA: QUEM É PITTY?

Já sabemos que Pitty ingressou aos palcos com a meteórica banda Shes (1998), depois participou da hardcore Inkoma (1998-2000), em sua carreira solo lançou três discos de estúdio e um ao vivo, já faturou dezenas de prêmios (melhor álbum, melhor vocalista, melhor videoclipe, melhor letra, melhor show, etc, etc), e arriscou os primeiros passos no cinema em "É Proibido Fumar" (2009). Sim, sabemos disso tudo.


Mas quem é a libriana baiana Priscilla Novaes Leone, nascida em 07 de outubro de 1977? Ela curte horóscopos? O que ela faz nas horas vagas? Qual profissão ela seguiria se não fosse artista? Ela posaria nua? O Mundo Rock de Calcinha resolveu descobrir tudo isso e muito mais pra você! Confira entrevista exclusiva com Pitty:

MRC - Como é Pitty em casa?
Pitty: Fico menos em casa do que eu gostaria, mas quando lá estou gosto é de botar os filmes, livros e revistas em dia, tocar violão, piano, escrever. Claro, aproveito pra arrumar as coisas e botar a roupa pra lavar, escovar os gatos.

MRC - Quais são seus hobbies preferidos?
Pitty: Ver pipoca e comer filme. Assim mesmo, metaforicamente falando. E ler. E jogar videogame (esse é raro).

MRC - Se você não fosse cantora/compositora, qual seria sua profissão?
Pitty: A que seria não tenho a menor idéia, mas gostaria de ser trapezista de circo ou secretária.

MRC - Quantas tatuagens você tem? Conta como foi que resolveu fazer a primeira, e como conseguiu, pois na época tinha 15 anos?
Pitty: Já perdi a conta, são mais de vinte. A primeira resolvi resolvendo, meio no ímpeto. E como já trabalhava e tinha minha própria grana me achei no direito de não pedir permissão a ninguém. Saí do trabalho um dia, passei num estúdio de tattoo que tinha perto do trampo, escolhi um desenho e falei "manda ver".

MRC - O pessoal das antigas sempre falou sobre tatuagem de maneira preconceituosa e ainda completavam "quando tiver 30 anos irá se arrepender". Você se arrependeu?
Pitty: Claro que não. Pelo contrário, só tenho vontade de fazer mais e mais, e fico economizando espaço. Quem se arrepende deve ter algum desses problemas: ou não sabia direito o que queria e fez por oba-oba; ou arrumou uma profissão que não condiz com tatuagem; ou gosta de se martirizar mesmo.

MRC - Qual viagem você gostaria de fazer?
Pitty: Todas. Viajar é a coisa mais valiosa pra mim, algo que não tenho pudor de investir meu dinheiro. Não tenho vontade de carrões e casarões, tenho vontade de ir a lugares diferentes. Ainda quero conhecer Veneza antes que afunde.

MRC - É ligada em horóscopos?
Pitty: Só quando me é favorável. Ou quando estou mais suscetível. Na real é tudo uma questão de conveniência.

MRC - Você é muito sincera, quando não está muito legal já avisa para os fãs que não vai atendê-los, etc. Muita gente não entende isso, talvez prefiram sorrisos falsos. Como você consegue lidar com a fama, sendo sincera, analisada o tempo todo, principalmente esse contato com as pessoas? (vem daí até o `Mesmo que seja estranho, seja você`??)
Pitty: É que as pessoas estão acostumadas e desejam a pessoa idealizada, não a real. Elas querem o sonho, a perfeição, a magia. Não posso culpá-las por isso, mas também não consigo me sujeitar a esse esquema, senão eu surto. Acho bonito o ser humano do jeito que ele é: com todas as suas imperfeições e esquisitices. É por isso que curto a rabugice de Bukowski, a melancolia de Clarice, a paranóia de Woody Allen, a suposta apatia de Thom Yorke. As pessoas são o que elas são, por que não lidar com isso? Live and let live. O refrão de Máscara tem a ver com isso, e também "não é minha culpa a sua projeção", de Me Adora.

MRC - O culto ao corpo, padrão de beleza que faz muitas mulheres escravas do estereótipo da moda, etc. Não só no mundo das modelos, mas também celebridades instantâneas de carnaval ou reality shows. O que acha de tudo isso? Você já recebeu convite pra posar nua? Faria esse trabalho?
Pitty: Já recebi algumas vezes, mas não aceitei. E não foi por pudor, foi por achar que isso iria confundir as pessoas a respeito do meu trabalho. Quero que me conheçam por ser cantora e compositora. E aqui na terra do bundalelê vira tudo farinha do mesmo saco, a celebridade instantânea que dura 15 minutos e a escritora fodona, o que acho injustíssimo. Gosto de arte erótica, Crepax, Manara, etc. Cuidar do corpo e se sentir bem é legal, mas sem paranóia. E com toda essa cobrança acerca das mulheres é bem fácil ficar doente.

MRC - A primeira mulher a cantar rock no Brasil foi a Nora Ney em 1958, quando regravou o sucesso de Bill Haley "Rock Around Clock". Depois surgiu a mãe do rock brasileiro, Celly Campello. Rita Lee na sequência, que inclusive começou a tocar no colégio com uma banda formada somente por meninas, a "Teenages Singers" . Quais são as suas influências femininas no mundo do rock?
Pitty: Rita Lee, sem sombra de dúvida. As meninas do L7. Elis, Etta James e Billie Holliday, que nêgo diz que não é rock, mas É.

MRC - Muito obrigada pela entrevista. Desejamos bons fluidos com "Chiaroscuro". O espaço é seu para as considerações finais:
Pitty: Valeu, brigadão a todos aí também. O DVD "Chiaroscope" já foi lançado, e são os bastidores das gravações do "Chiaroscuro" em formato de vídeo arte; cada música é um clipe diferente. Muita sorte a todos, e rock sempre!

Acesse: www.pitty.com.br

Olha que coisa mais fofa, Pitty quando era criança







Nenhum comentário: