domingo, 13 de novembro de 2011

Courtney Love no #SWU : pouca música e muito papo


Na noite do último dia 13 de novembro, domingo, a banda que se apresentaria no palco New Stage, do SWU (em Paulínia/SP), era Hole, mas na verdade podemos chamar somente de Courtney Love - que chegou fumando cigarro, tossindo muito, sem fôlego pra continuar uma letra inteira.

Logo de cara ela conseguiu estragar "Sympathy for the Devil", cover dos Rolling Stones, que se já estivessem mortos revirariam nos túmulos. Ao final de "Skinny little bitch" ganhou camiseta do público, com a frase estampada "Courtney, seja a minha puta", combinando com o título da música (“putinha magra”). Vestiu a camiseta e ‘como se não fosse de propósito’, mostrou os seios – fazendo a alegria de muitos.

Desafinada, faladeira, distribuiu esporros. Um deles foi quando pediu para a plateia aplaudir os músicos que a acompanhava e - ao perceber que foi fraquinho - disse irritada: "Foi muito fraco. Vão assistir ao show do Chris Cornell" - que tinha acabado de se apresentar no palco principal.

Além disso, Courtney também errou acordes e esquecia as letras. Então, passou batom para enrolar e falava mais ainda e atacou outra pessoa. Dessa vez, Dave Grohl (ex-Nirvana, atual Foo Fighters), que já batalhou várias vezes na justiça por direitos autorais desde 1994 - quando Kurt Cobain (marido dela) se suicidou. "Ele tem um monte de dinheiro. Ele não precisa pegar comida da mesa da minha filha. Eu tenho meu dinheiro. Mas e minha filha? E a mãe do Kurt?", disse aborrecida.

Quando percebeu que alguém na plateia gritou Nirvana e exibiu uma foto do Kurt, Courtney mostrou o dedo do meio (sim, o famoso cotoco) e falou enfurecida: "Vá a um show do Foo Fighters e mostre essa droga". Courtney deixou o palco e só voltou depois que uma das meninas brasileiras, que estava no palco antes, pediu para o público chamá-la novamente.

Ela voltou, e se desculpou: "Tenho que conviver diariamente com este fantasma". E com voz esganiçava seguiu o repertório com "Violet" e depois a cadenciada "Honey". Cantou, praticamente falando, "Bad Romance" de Lady Gaga. Estragou uma música do U2, "The fly", e fez todo mundo pular com "Celebrity Skin".

Em 01h de show, vimos uma Courtney fazendo algo combinado que não colava muito e música que é bom, nada. Pobre Courtney, decadente. Tentou causar na primeira vinda ao Brasil com Hole, mas na verdade o Ultraje a Rigor já tinha usado toda a ‘cota de confusão’ do dia, quando a equipe da banda foi empurrada pelo pessoal do Chris Cornell e depois teve equipamento desligado – sem poder concluir o show – pela equipe técnica do Peter Gabriel. Nada combinado ou fake. Aprenda Courtney, esse lance de brigar - principalmente com o público - é tão anos 1980. Nem o Axl Rose faz mais isso...

Veja as fotos:



Também tem fotos e até enquete sobre o umbigo da Courtney, em nosso FACEBOOK .

4 comentários:

Vanessa disse...

A banda em si foi um marco nos anos 90,mas Courtney criou sua própria decadência,já mostra que não consegue mais cantar,a voz some.Bem,o lado barraqueiro dela,o mundo inteiro já conhece mais do que o próprio som dela,mas também eu achei que não precisava ir ao show dela para esculhambar,levando fotos de Kurt e etc...o que salvou mesmo foi o final quando ela tocou Celebrity Skin..bons tempos eram aqueles..parabéns pela cobretura.

Gisele Santos @giselesantos_ disse...

van , às vezes tem artista que demora a enxergar que tem coisa que não cola mais né ... valeuzão pela companhia :D

João Cougo disse...

O Post foi tão critico para cima da Courtney que tu não passou para analisar o que é uma rockstar. Essa é a última vadia viva do rock, ela pode fazer o que quiser (e é isso que ela faz).

valma de oliveira disse...

hospedagem de sites
aluguel de cftv